707 25 25 25
Endodontia

A palavra provém do grego endo (dentro) + dontia (do dente). É o ramo da medicina dentária que estuda a patologia da polpa dentária e tecidos que rodeiam as raízes e o seu diagnóstico e tratamento. A polpa dentária é o órgão (composto por nervos, vasos sanguíneos e linfáticos) que se encontra no interior do dente (canal radicular), chamada vulgarmente de “nervo do dente”. Anteriormente, os dentes com problemas na polpa eram comumente extraídos. Atualmente, graças aos avanços científicos e tecnológicos, os tratamentos disponíveis podem, dentro de limites, salvar estes dentes, mantendo-lhes a função e estética inalteradas.

O que acontece quando surge uma dor de origem dentária?

A patologia pulpar pode ter várias origens, nomeadamente, cárie dentária, traumatismos dentários ou realização de tratamentos restauradores dentários repetidos. Quando a agressão provocada pela cárie começa a atingir zonas mais profundas do dente, a polpa dentária fica inflamada e surgem, normalmente, as dores ao frio. Se esta agressão continuar, sem tratamento, o estado inflamatório torna-se de tal maneira avançado, que a polpa perde a capacidade de defesa e recuperação. Este estado irreversível é, normalmente, acompanhado por dores intensas e prolongadas o frio, quente, ou mesmo espontâneas que podem surgir durante a noite. Neste caso, torna-se necessária a completa remoção da polpa, ou seja, a realização de um tratamento endodôntico.

O que acontece quando surge um abcesso?

A maior parte das vezes, quando existe dor dentária espontânea, significa que a polpa se encontra em processo de necrose, ou seja, a ”morrer”. Durante este processo as bactérias começam a invadir a parte profunda do dente, provocando uma infeção que se expande para a zona óssea em redor, podendo provocar um abcesso, com ou sem trajeto de drenagem (fístula).

Em que consiste o tratamento endodôntico não cirúrgico?

É vulgarmente chamado de “desvitalização” e visa garantir a saúde dos tecidos que circundam o dente. O tratamento pode ou não recorrer ao uso de anestesia, dependendo do estado da polpa, e é feito com isolamento absoluto do dente a tratar. Consiste na desinfeção e conformação dos canais radiculares com recurso a irrigantes, desinfetantes e instrumentos manuais e/ou mecânicos. A finalização do tratamento faz-se com o preenchimento dos canais com um material plástico de obturação, próprio para o selamento dos canais.

Após o tratamento endodôntico, quanto tempo devo esperar até reabilitar o dente?

Após tratamento, geralmente o dente é restaurado com um material provisório até se avançar com a reabilitação definitiva, seja com uma coroa fixa (ideal) ou com uma restauração convencional. O material provisório é de carácter temporário, pois pode deteriorar-se ou sair, expondo o tratamento e comprometendo-o, podendo até originar nova infeção ou pode mesmo fraturar e inviabilizar o dente, tendo o mesmo de ser extraído.

Quanto tempo dura um dente endodonciado?

Tem a mesma duração que um dente natural, dependendo da forma como está reabilitado e de acordo com a manutenção feita (higiene oral e consultas de reavaliação regulares). É importante não esquecer que um dente tratado endodonticamente continua sujeito à cárie. Inclusivamente, a cárie nestes dentes avança silenciosamente, pelo facto de não ter estrutura nervosa que sinalize as agressões. Pelo que, são essenciais as consultas periódicas de controlo com o médico dentista.

O que é um retratamento endodôntico?

É uma opção quando um tratamento endodôntico prévio falha. Trata-se geralmente de um procedimento de dificuldade elevada e alguns problemas existentes no tratamento anterior podem não ser possíveis de corrigir. Nesses casos, a microcirurgia endodôntica pode ser uma alternativa de recurso, em casos selecionados e com indicação médica para tal.

Em que consiste uma cirurgia endodôntica?

Trata-se de uma intervenção cirúrgica para remoção dos tecidos inflamados e infetados e da extremidade da raiz, sendo colocado um material selador na parte terminal do canal radicular. Esta cirurgia apical pode ser realizada com o auxilio de microscópio operatório, o que aumenta a precisão de todos os passos do tratamento, contribuindo para o sucesso da técnica e resultados.

É doloroso fazer um tratamento endodôntico?

A realização de um tratamento endodôntico não deve provocar dor, uma vez que o dente é anestesiado ou está necrosado (nervo não vital).